Evite as doenças cardiovasculares

De que forma as pessoas podem, ao longo da vida, prevenir o aparecimento de doenças cardiovasculares?

É essencial, adotar um estilo de vida saudável (alimentação mediterrânica, atividade física regular e não fumar) e, em caso de necessidade, assegurar o controlo dos fatores de risco cardiovasculares, nomeadamente a hipertensão arterial, o colesterol e a diabetes, com a ajuda do médico. É ainda imperativo que se tomem medidas urbanísticas que tornem as cidades mais saudáveis.

Com base na evidência científica recomenda-se que nos levantemos a cada hora, pois está bem demonstrado que estar longas horas seguidas sentados é prejudicial para a nossa saúde.

Prof. Dr. Manuel Carrageta
Cardiologia, Medicina Interna, Farmacologia Clínica e Geriatria

Estar sentado muitas horas seguidas faz mal à saúde?

Está sentado confortavelmente? É melhor levantar-se, pois estar sentado durante horas duplica o risco de doenças cardíacas,obesidade, diabetes e morte prematura. Na realidade, nós passamos a maior parte do tempo sentados no trabalho, no carro e em casa.

É melhor levantar-se, pois estar sentado durante horas duplica o risco de doenças cardíacas

Porque é que estar sentado grande parte do tempo é prejudicial para a saúde? O baixo custo energético de estar sentado leva a que os tecidos do nosso organismo se tornem resistentes à insulina, o que causa um aumento da glucose no sangue. Leva também a uma redução acentuada da atividade da lipoproteina lipase, com consequente redução do colesterol bom. Todas estas alterações aumentam o risco de obesidade, diabetes e doenças cardiacas.

O primeiro passo para mudarmos a nossa rotina sedentária é reconhecer que passamos demasiado tempo sentados. Pequenas modificações são benéficas, como falar de pé ao telefone, ir falar com um colega em vez de telefonar ou mandar um email, fazer algumas reuniões de trabalho de pé, ou ter uma secretária alta para trabalhar de pé.

Com base na evidência científica recomenda-se que nos levantemos a cada hora, pois está bem demonstrado que estar longas horas seguidas sentados é prejudicial para a nossa saúde.

Prof. Dr. Manuel Carrageta
Cardiologia, Medicina Interna, Farmacologia Clínica e Geriatria

Verão, alimentação e saúde cardiovascular

Verão é sinónimo de calor e, com o calor, chega também a altura de reforçarmos ainda mais a nossa hidratação. A desidratação é um dos principais riscos do Verão. É extremamente importante, que o doente cardíaco se mantenha hidratado, através de uma ingestão adequada de água. As necessidades de água variam de acordo com vários fatores, como a temperatura ambiente, condições climatéricas, alimentação e atividade física. A água contida nos alimentos, juntamente com a que ingerimos e, com os restantes líquidos que consumimos, deve ser suficiente para garantir uma correta hidratação. Assim, é aconselhada uma ingestão de água ao longo do dia de cerca de 1,5 L nas mulheres e de 2 L nos homens. A água deve ser sempre a bebida de eleição, no entanto, os chás e as infusões, sem adição de açúcar, são também uma forma saudável e saborosa de consumir água.

Atenção ao sal! O sal é inimigo do doente cardíaco e, por isso mesmo, a adição deste na confeção dos alimentos, deve ser minimizada e, substituída por ervas aromáticas (orégãos, salsa, coentros, manjericão, tomilho…), que dão sabor aos pratos, sem ser necessário abusar do sal. Para além do sal que adicionamos aos alimentos, temos que ter em consideração, que a maioria dos alimentos que compramos já preparados, são ricos em sal, como o pão, alimentos pré-cozinhados, enlatados, aperitivos e, como tal, moderação é a palavra de ordem.

Aproveite o melhor do Verão, mas continue a cuidar do seu Coração…

O Verão é também sinónimo de refeições leves e de peixe grelhado! Devemos aproveitar o bom peixe desta época, como é o caso das sardinhas, que são ricas em W3, uma gordura saudável que protege o coração. Aconselha-se uma ingestão de peixes gordos (sardinha, atum, cavala, salmão selvagem…) entre 2 a 3 vezes por semana. Em relação às técnicas culinárias, dar primazia a métodos simples para confecionar os alimentos, como cozidos (em água ou a vapor), grelhados, estufados, salteados, marinados e, assados com pouca adição de gordura. A gordura de eleição, deve ser sempre o azeite, pela sua riqueza em gordura saudável, boa para o coração. Os frutos secos, podem ser também uma boa alternativa e, a dose diária recomendada é de cerca de 30 gramas.

O Verão traz-nos também uma grande variedade de fruta e vegetais. Vamos aproveitar toda esta variedade e, tirar o máximo partido das frutas desta época, sobretudo das frutas vermelhas, que são riquíssimas em antioxidantes e, ótimas para uma boa saúde cardiovascular. No que aos vegetais diz respeito, o nosso prato deve ser reforçado com uma boa porção de vegetais crus ou cozinhados e, a sopa, é sempre uma ótima forma de ingerir vegetais e, deve estar sempre presente no inicio das refeições.

Nutricionista Liliana Mouro
Pós–Graduada em Nutrição Clínica
Licenciada em Ciências da Nutrição